Leva Apenas

em 29/08/2011 7 comentários


Me desculpe, mas eu jamais conseguiria odiar você. Jamais conseguiria odiar seu sorriso, seus caninos pontudinhos, seu olhar indecifrável. O máximo que eu consigo é ficar triste, meio confusa, aflita, frustrada... Estouro meus sentimentos em músicas bobinhas, extravaso minha incerteza em pensamentos profundos e canto minha dor em versos sem ritmo, achando que tenho motivos para te desprezar, mas não conseguindo ao lembrar do seu rosto tão lindo e da sua voz tão doce. Me desculpe, mas de mim você não leva nem o desprezo, nem o pouco caso, tão menos a frieza... Eu acho que leva apenas minha admiração irracional, nesse ser perfeito que eu projetei em você.

Créditos: Imagem

Vestir-me de mim

em 26/08/2011 5 comentários
Mais uma vez o Sol teimou em somente iluminar e não resplandecer... Constatei que não vejo um dia azul há pelo menos uma semana. E no meio de tanta lamúria por fazer tão frio aqui no sul, é óbvio que também senti falta de escrever. Vou falar então de algo que volta e meia eu fico pensando e analisando.

Conviver consigo mesmo o tempo todo é uma das habilidades humanas mais admiráveis. Tem pessoas que você ama de paixão, adora a companhia... No entanto quatro dias consecutivos juntos e algumas faíscas já são liberadas quando - não surpreendentemente - existe o atrito. Agora, conviver com você próprio 24 horas por dia, cada segundo, cada minúsculo instante... caramba! Dividir consigo os pensamentos, os questionamentos, os problemas; relembrar as responsabilidades, encher o próprio saco! xD Por isso é que é tão necessário reinventar-se e agregar. Ouvir música, ler, assistir televisão, o que seja... Grudar em si algo que não seja você. Conversar com os amigos um assunto qualquer; debater sobre um tema {ir}relevante; ser louco em grupo, pois ser louco sozinho é loucura de fato! hahaha Que intensa essa arte de viver, que confuso esse fato de existir.

(Foto que eu tirei do João-de-Barro, que todos dizem ter mulher, mas que eu sempre vejo sozinho, no seu pequeno lar).


Resumindo o post:

Às vezes me canso de me ser... Todos, todos podem fugir de mim, eu não, meu destino é me ser. Vestir-me de mim todas as manhãs e me interpretar pelo resto da vida... Isso cansa! - Clarice Lispector

O amor é a única revolução verdadeira

em 20/08/2011 7 comentários
Sabe, o que eu quero mesmo é o amor. Eu quero gestos simples que demonstram sentimentos enormes. A energia transmitida num abraço puro; a mensagem contida numa troca de olhares sinceros; a ajuda oferecida mesmo que não haja recompensa; o perdão que renova e transforma, regenera e cicatriza, sara e faz bem. Não sei qual de tantas filosofias que existem está errada. Nem tudo que eu sigo é completamente verdadeiro, eu sei. Não sou dona da razão. Seria tão mais lindo e produtivo o amor. O amor sem barreiras, distribuido em conversas genuínas onde as almas se conhecem sem preconceitos, sem restrições. O amor forte e impossível de arrebentar, que não existe por um motivo específico, mas que faz as pessoas se amarem sem nem saber o por quê. Esse amor.

Dilema

em 17/08/2011 2 comentários
Dilema: Situação embaraçosa que apresenta somente duas soluções, ambas difíceis ou inconvenientes, o que gera perplexidade para uma opção.



Acomodar-se ou mudar? Arriscar e talvez melhorar a situação ou permanecer estático na mesma de sempre? Não se importar em estar sozinho ou admitir que está apaixonado? Ou simplesmente fechar os olhos e esperar tudo passar, porque a preguiça de viver de uma forma diferente é maior do que o desejo e a disposição de fazer coisas novas?

PARA TUDOOOOOO! Enquanto escrevo esse post (às 23:00, sendo que amanhã tenho prova de matemática, não estudei nada e muito menos sei a matéria) recebo uma ligação da minha prima. Ela me conta algo que me deixa MUDA, boquiaberta e estranhamente feliz! *-*

De boa, vale a pena levantar o bundão e ser feliz!
*estou sentindo borboletas no estômago*

Créditos: Imagem

A Menina...

em 01/08/2011 16 comentários


Eu sou a menina que um dia brincou de pique-esconde, corrida e futebol; a menina que nunca fez muita questão de ser a meiguinha e que sempre teve coragem ao ser desafiada. A menina que se identificava com a "Docinho" das Meninas Super Poderosas. Ao mesmo tempo eu sou a menina que escrevia poesias de amor e revelava sua paixonite com aquele receio e vergonha que todo amor infantil trás. Tenho meu lado comum, da menina que gosta de cor-de-rosa, de barbies e de brincar de escolinha... A menina que chora com filmes de romance e se emociona imensamente ao olhar pela janela e avistar o céu laranjado de fim de tarde. Por outro lado, também sou a menina que gosta de conversar com o irmão sobre astronomia e que conversa com o pai sobre, digamos, "conhecimentos gerais", filosofando na hora do almoço ou na hora do café da tarde, incluindo papos sobre "música antiga" e futebol (e como eu amo isso!) A menina que sempre gostou de desenhar; que tem um certo tesão atrativo por esportes radicais; que curte rock e MPB; que tinha como sonho ter uma cachorrinha e que já é mulherzinha o suficiente para imaginar-se como mãe... A "não-meiguinha" que atualmente adora maquiagens, esmaltes, arrumar o cabelo e ir ao shopping, mas que prefere mesmo uns 'papos mais cabeça'. Ama a amizade de meninos, ama a amizade de meninas e que sempre se sentiu super à vontade no meio de adultos. A menina que defende suas convicções, que já errou milhares de vezes e que se arrepende dos erros, sim! A menina que procura evoluir, mesmo que a pequenos passos... A menina que ama Jesus da forma mais vasta que se poderia amar alguém. A menina que se orgulha de quem é e que raras vezes se entristeceu por causa da opinião dos outros a ponto de mudar o próprio jeito... Essa sou eu, uma pluralidade de adjetivos formando esse substantivo no singular :D

Créditos: Imagem

 
Lívia - Vocábulo | Tema base por Jana B. | Mantido pelo Blogger