Um pouco de mim, deles, de nós

em 20/01/2012


Vish... Pessoa complicadinha que eu sou. E talvez eu saiba que sou complicada porque convivo comigo mesma 24h por dia. Os outros veem a sombra de quem eu realmente sou, uma parcela do todo. E eles podem achar essa parcela estranha, engraçada, normal ou serem indiferentes a ela... Não cobro nada de ninguém. No convívio talvez eu não seja essa complicação toda, talvez eu me simplifique para as pessoas, naturalmente. Na real eu acho que todos fazem isso, até porque é meio impossível ser a própria intensidade o tempo todo.

Eu sou muito observadora e as pessoas que eu tenho observado parecem não ser muito. Eu sou quieta no começo, já tive que admitir a timidez. Mas é que eu prefiro ficar quieta a concordar com algo que eu não acho certo. E as pessoas estão a todo momento falando coisas que eu discordo. Que chata eu seria se a todo momento interrompesse e dissesse: "hum, não é bem assim..." É que o natural para muitas pessoas não soa muito bem à minha ideia de correto. E como para elas é natural, ouço apenas. Nesses poucos anos de vida aprendi que opinião é opinião. E opinião mais se troca do que se discute. E vamos bem assim. Ninguém muda a ideia de uma pessoa com um belo discurso, mas sim com simples demonstrações diárias. Com as pessoas mais próximas, que tenho mais intimidade, demonstro mais minhas ideias. Mas as pessoas que não conheço muito bem, prefiro ouvir e de repente eu mesma pensar de outra maneira. E tentar entendê-las. Eu faço isso a todo momento e agora que me caiu a ficha. Eu tento entender por que estão tristes ou por que buscaram a solução por tal caminho. Tento entender por que bebem ou fumam, por que falam coisas e fazem outras, por que tentam parecer mais do que o outro a todo instante. E isso me leva a não julgá-las, já que para tudo deve haver um por quê. E eu não conheço o 'por que' de cada um. Se com uma dessas pessoas uma amizade acontecer, aí sim eu poderei falar e demonstrar a minha opinião. E abrirei a boca para algo realmente útil (muito mais útil do que tentar entuchar meu modo de pensar na cabeça do indivíduo) abrirei a boca para simplesmente dar meu ponto de vista e ela terá prazer em me falar e me ouvir, já que todo ser humano ama ser compreendido... E eu amo tudo isso! <3

Obs.: Não é com todos que você tem uma conversa mais "filosófica". Por um lado eu acho uma pena e por outro digo 'graças à Deus!'. Falar bobeiras e assuntos leves também é uma boa pedida.

Créditos: Imagem

5 comentários:

paulinha disse...

Lívia, você disse tantas coisas coerentes e que concordo que fica difícil tecer um comentário que não vá reescrever tuas palavras rs!
Acredito que ninguém nos conhece inteiramente, nem nós mesmos. Somos moldados de acordo com as situações e, se preciso, mudamos pra nos adaptarmos a elas.
Também sou tímida e confesso que isso me incomoda na maioria das vezes.
Temos essa tendência mesmo de julgar sem buscar as razões de cada um, mesmo sabendo que elas estão lá. É que é mais fácil não entender e enxergar as coisas de forma mais profunda.
Concordo também com teu obs. Talvez quem me vê no dia-a-dia jamais imagine que eu possa ter um blog que fale de sentimentos e reflexões. Somos todos multifacetados!
Beijos, amei teu post.

Maíra disse...

Hey ;)

realmente tem horas que é melhor ficar quieto e ouvir o que a pessoa tem a falar, ficar discutindo ou colocando o seu ponto, ás vezes só vai cansar. Eu sou uma pessoa que também discorda bastante com as pessoas, ai é preferível ficar quieto né?! ahhauuah

adorei o texto, uma ótima reflexão! ;)

Boa semana, beijos :*

Gabriela disse...

Olha, me indentifiquei muito com o post. Somos muito parecidas.

Apesar que ultimamente mudei bastante. Tenho me tornado menos observadora, mais sociável e falante. Não me reconheço!

E sabe, eu sempre costumo dizer que sou uma pessoa prática, e talvez no fundo eu realmente seja. Mas eu sei que também sou bem complicada e chata com algumas coisas.

Mas essa sou eu! O que está ruim, eu tento mudar sempre.

Beijos.

Camila disse...

Ouvir mais é um dom. Faz bem quem cala, pouco se erra por falar besteira. O mundo tá precisando é disso, pessoas que ouçam mais e procurem compreender mais.

Ótimo texto!

Karen Guzzatti Konig disse...

Oii...
Ja estou te seguindo.
Seu blog é bem legal.
Da uma passadinha la no meu blog e se gostar fique a vontade para me seguir também.
Um Abraço, Fica com Deus!!
Xoxo
Link do blog:http://karenbarbiepink.blogspot.com

Postar um comentário

ATENÇÃO
Ao preencher o campo "comentar como" > "selecionar perfil" utilize a opção 'Nome/URL' mesmo que possua Conta do Google, WordPress, etc. assim eu poderei responder diretamente no seu blog. Obrigada.

 
Lívia - Vocábulo | Tema base por Jana B. | Mantido pelo Blogger